O segmento de consórcios bate recordes de vendas a cada ano. Mais e mais brasileiros estão comprando seu primeiro imóvel ou ampliando o patrimônio, graças às vantagens e facilidades da compra programada que a modalidade proporciona. No entanto, é preciso tomar alguns cuidados na hora de aderir a um plano para não haver surpresas desagradáveis.

O primeiro cuidado que se deve ter ao contratar um plano de consórcio é verificar se o prazo e o valor das prestações assumidas condizem com sua realidade financeira. Não adianta fazer uma dívida que comprometa mais de 30% da sua renda, por exemplo. Também é importante ficar atento à escolha da administradora. É claro que a menor taxa de administração pode ser um bom parâmetro para tomar essa decisão, mas nem sempre a administradora que oferece a taxa menor é a mais indicada para realizar o seu sonho.

É relevante ler atentamente as cláusulas do contrato de adesão antes de assiná-lo e pedir todos os esclarecimentos que julgar necessários. É preciso verificar o crédito indicado no contrato, o prazo de duração do grupo, percentual de contribuições, despesas que serão cobradas, taxas de administração, tipos de seguro que poderão ser exigidos e garantias que deverão ser fornecidas quando você for contemplado.
 
Não há como assegurar um prazo fixo para a contemplação. Se algum vendedor disse isso a você, entre em contato com a Central de Relacionamento da administradora. Como a contemplação no sistema de consórcio ocorre mediante o sorteio da cota na assembleia, não há como saber quando você será contemplado. Além disso, os lances são sigilosos e não há como garantir se a sua será ou não a oferta contemplada. 

Formas de Contemplação

Cabe ao Banco Central do Brasil a fiscalização do sistema de consórcios. No site da instituição é possível encontrar informações sobre as administradoras, tais como quais são as empresas autorizadas, quais estão impedidas de constituir novos grupos e quais possuem maior número de reclamações.

Consulte o site do Banco Central