Consórcios crescem no país

Publicado em: 19/01/2010

Mesmo com crise econômica o setor de imobiliário deverá crescer em 2010. A vantagem do consórcio imobiliário, é que este atende muito bem a quem já tem um imóvel e pretende usá-lo como forma de poupança. Ou mesmo por quem pode esperar pela contemplação ou tenha uma quantia considerável para dar como lance. Mesmo com os problemas da crise econômica que comprometeu principalmente  o primeiro semestre de 2009, a comercialização de novas cotas deve atingir crescimento de 15% em relação ao ano passado, segundo dados da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac).

Para 2010 os consumidores poderão contar com o FGTS, pois em 15 de dezembro o Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), por meio da Resolução 616, aprovou o uso do Fundo em consórcios, a exemplo do que já ocorre no financiamento. O dinheiro poderá ser usado para quitar a dívida, abater 12 ou mais prestações ou oferecido em lance. No entanto, só deve ser usado para imóveis de até R$ 500 mil e a pessoa não pode ter outro imóvel ou estar usufruindo de financiamento ativo  no Sistema Financeiro Habitacional. A operação deverá ter início em até três meses, contando a data da publicação da resolução.

Para usar o FGTS, a cota de consórcio deverá estar em nome do trabalhador, titular da conta vinculada a ser utilizada. O consorciado deverá  conter no mínimo três anos de trabalho sob regime do FGTS. Somente poderá fazer uso dos recursos, o consorciado contemplado em grupo de consórcios referenciado em bem imóvel e que já tenha adquirido o bem. O consorciado interessado na utilização dos recursos para amortização  ou liquidação do saldo devedor tem que observar o intervalo mínimo de dois anos entre uma movimentação e outra.

Segundo o presidente da Regional Sudeste 2 da Abac, João Pedro de Andrade Salomão, o valor médio da cota em 2009 é o mais alto já registrado:  R$ 88 mil. "Valor suficiente para a compra de um apartamento de dois quartos", pontua. No ano passado, o valor de crédito concedido também foi
o maior: R$ 1,5 bilhão.



Veja mais notícias